Análise Semanal de Renda Fixa
17/01/2020 à 24/01/2020

Resumo do Mercado de Renda Fixa: Semana 79

Principais Notícias para o Mercado de Renda Fixa

Highlights (Resumo):

Fechamento marginal nas Curvas de Juros.

Principal vetor: Declarações consideradas dovish do Presidente do Bacen, apesar do IPCA 15 com núcleos ruins.

Destaque: De olho no coronavírus!

Contribuição: José Luis Gomes Lisboa CFP® Linkedin

O Relatório de Mercado Focus (dia 27) mostrou uma redução nas expectativas para IPCA neste ano e para Selic. A projeção para o índice de inflação em 2020 caiu de 3,56% para 3,47%. A projeção para o índice em 2021 seguiu em 3,75%. Já a previsão de Selic no fim do ano caiu de 4,50% para 4,25%, confirmando a precificação majoritária atual do mercado, de um corte de 0,25 pp na taxa básica de juros pelo Copom e logo na sequência de declarações consideradas “dovish” do presidente do Banco Central. Já a projeção para a Selic no fim de 2021 seguiu em 6,25% ao ano, ante 6,38% de quatro semanas atrás. A expectativa de crescimento da economia em 2020 seguiu em 2,31%. Para 2021, o mercado manteve a previsão de expansão do PIB de 2,50%. A mediana das expectativas para o câmbio no fim do ano foi de R$ 4,05 para R$ 4,10. Para 2021 a projeção permaneceu em R$ 4,00.

A percepção de ao menos mais um corte da Selic pelo Copom em fevereiro parece estar se consolidando. Afirmações do presidente do Banco Central contribuíram para esse cenário. A avaliação foi a de um BC tranquilo com a inflação, ao minimizar o IPCA-15. “Veio mais ou menos em linha com o que esperávamos. Em relação aos núcleos, sempre tem uma contaminação marginal, mas isso não mudou a nossa trajetória”, disse. O horizonte do BC, segundo ele, é muito mais longo para qualquer decisão de política monetária e não basta olhar apenas um único indicador. Afirmou também que vê claramente movimento de juros associado à reformas.

O IPCA-15 de janeiro não veio tão suave como se esperava. Subiu 0,71% em janeiro após ter avançado 1,05% em dezembro, quase na mediana (0,70%). O intervalo ia de 0,55% a 0,76%. O índice acumulou em 12 meses alta de 4,34%, acima da mediana de 4,32%, mas dentro do intervalo (4,14% a 4,40%). O presidente do Banco Central disse em evento em São Paulo, que ninguém faz política monetária olhando um IPCA, ainda mais quando a gente tem a convicção de que tem vários fatores atípicos que são de curto prazo e que tem uma volatilidade que não é sempre modelada.

O IGP-M subiu 0,57% na segunda prévia de janeiro após ter aumentado 2,06% na segunda prévia de dezembro. Com o resultado, o índice acumulou elevação de 0,57% no ano de 2020 e alta de 7,91% em 12 meses. Os aumentos nos preços dos combustíveis e das mensalidades escolares impediram uma desaceleração maior da inflação ao consumidor. A leitura foi que, passados os choques do final do ano, a inflação deve seguir controlada.

Houve uma percepção positiva sobre a participação do ministro da Economia em Davos, onde afirmou que mandará as propostas para a reforma tributária tão logo o Congresso retorne do recesso e que foi muito demandado pelos investidores. 
No Brasil, o secretário especial de Fazenda afirmou que vai fazer uma revisão do cenário da dívida bruta do governo, prevendo um cenário mais favorável. 

O mercado de trabalho brasileiro criou 644.079 empregos com carteira assinada em 2019 de acordo com dados consolidados do Caged. Essa é a maior abertura de vagas formais no País desde 2013. O resultado de dezembro veio melhor que a mediana, negativa em 327.988 postos de trabalho.

O dólar fechou a semana acumulando valorização no ano de 4,30%, mantendo o real com o pior desempenho ante a moeda americana em uma cesta de 34 moedas. Preocupações com o ritmo de crescimento da economia brasileira e nos últimos dias, o temor de disseminação do corona vírus vêm influenciando esse movimento.

Novos casos de coronavírus nos EUA, a descoberta de duas pessoas infectadas na França e o aumento no número de casos na China aumentaram a aversão a risco nos mercados internacionais. O alívio causado com a decisão da OMS de não declarar emergência global pelo surto de corona vírus se dissipou, levando o índice VIX de volatilidade, chamado de “medidor do medo” dos mercados acionários americanos, a saltar mais de 20% na sessão de sexta-feira, impulsionado pelos temores com o alastramento do coronavírus e os efeitos na economia global.

Semana de 27 a 31 de janeiro

Semana de indicadores do governo federal com os números fechados de 2019, a começar pelo setor externo, na segunda-feira. Também serão conhecidos os dados sobre o déficit das contas públicas do país. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia disse recentemente que a estimativa da equipe econômica é a de que o resultado primário seja deficitário em 1% do PIB no ano passado.

Na agenda, a inflação medida pelo IGP-M em janeiro também ganha a atenção do mercado que aguarda a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para o início de fevereiro. 

Nos EUA, o Federal Reserve (Fed) define o rumo das taxas de juros, e após a divulgação do comunicado na quarta-feira (29), o presidente da instituição, Jerome Powell, faz seu discurso. 

Fonte: Broadcast

Principais indicadores para acompanhamento da Renda Fixa

Estruturas a Termo de Taxas de Juros Anbima (Curvas de Juros)

Gráfico de Retorno versus Risco Renda Fixa - Tesouro Direto

Rendimentos da Renda Fixa nominais brutos do Tesouro Direto, Poupança, Ibovespa, Dólar e CDI

Rentabilidades da Renda Fixa (Tesouro Direto) em %CDI

Características do Tesouro Direto: Taxa de Compra, Preço de Compra, Duration(Duração), Duração Modificada, DV01 e Volatilidade(Desvio padrão últimos 21 úteis)

Volatilidade da Renda Fixa (Risco de Mercado) Tesouro Direto, Ibovespa e Dólar

Comportamento das Taxas para Renda Fixa - Tesouro Direto