Análise do Mercado de Renda Fixa e Tesouro Direto: Semana 171

Curva de Juros Futuro do DI em 29/10/2021

Curva de Juros Futuro do DI em 22/10/2021

Highlights (Resumo): Mais uma semana de Alta Expressiva nas nas Taxas de Juros.

Principal(is) vetor(es): semana de forte aumento dos prêmios de risco na curva de juros, refletindo o Banco Central mais agressivo em  resposta à piora da percepção fiscal com a mudança na regra do teto de gastos e desancoragem das expectativas de inflação.

Destaque(s):  Risco Fiscal, Inflação e Bacen.

Principais Notícias para o Mercado de Renda Fixa e Tesouro Direto.

Contribuição: José Luis Gomes Lisboa CFP® Linkedin

A projeção para a inflação em 2021 no Relatório de Mercado Focus (1º) subiu pela 30ª semana consecutiva, e passou de 8,96% para 9,17, cada vez mais distante do teto da meta, de 5,25%. Há um mês, estava em 8,51%. A estimativa para o índice em 2022 também continuou subindo, de 4,40% para 4,55%, o 15º aumento seguido. Quatro semanas atrás, estava em 4,14%. A meta de 2022 é de 3,50%.

Mais uma semana de forte aumento dos prêmios de risco na curva de juros, refletindo o Banco Central mais agressivo em  resposta à piora da percepção fiscal com a mudança na regra do teto de gastos e desancoragem das expectativas de inflação. Considerando o spread entre os DIs jan/27 e jan/23, a curva terminou outubro com uma ligeira inclinação, de apenas 13 pontos-base, ante 149 pontos no fechamento de setembro.

Outros fatores que influenciaram o comportamento da curva a termo foram:

  • as declarações do novo secretário do Tesouro, Paulo Valle, de que o órgão pode atuar no mercado em conjunto com o Banco Central, e além de retirar oferta de títulos prefixados, pode intervir com a recompra de papéis,
  • a avaliação de que a política monetária terá que continuar agressiva para recolocar a inflação na meta,
  • o receio de nova decretação de estado de calamidade que autorizaria pedido de crédito extraordinário para estender o pagamento do auxílio emergencial em 2022,
  • a cautela com a paralisação de caminhoneiros marcada para segunda-feira, dia 1º de novembro,
  • o comunicado do Copom ao trazer que “o cenário básico e o balanço de riscos indicam ser apropriado que o ciclo avance ainda mais no território contracionista”,
  • o IGP-M de outubro, que subiu 0,64% na margem, superando o teto das estimativas, de 0,61%,
  • a leitura de que o Banco Central pode ter que aumentar o ritmo de alta da Selic, embora tenha indicado que vai repetir a dose de 1,50 ponto porcentual,
  • o IPCA-15 de outubro acima da mediana das estimativas, o mais elevado para outubro desde 1995. Em 12 meses, a alta chega a 10,34%,
  • e novo reajuste nos preços de combustíveis.

O dólar à vista encerrou a sessão da sexta-feira (29) cotado a R$ 5,6461, com alta de 0,33% na semana e avanço de 3,67% em outubro.

Os fatores que contribuíram para as alterações no preço da moeda americana foram:

  • a apreensão com a paralisação dos caminhoneiros marcada para segunda-feira, dia 1° de novembro,
  • o desconforto provocado pelas críticas do presidente Bolsonaro ao lucro da Petrobrás,
  • a fala do novo secretário do Tesouro, Paulo Valle, de que pode atuar no mercado em conjunto com o Banco Central,
  • a queda dos preços das commodities (petróleo e minério de ferro),
  • e a insegurança fiscal diante da possibilidade de extensão do auxílio emergencial, por causa das dificuldades de aprovação da PEC dos Precatórios.

Semana de 01 a 05 de novembro

No Brasil, na segunda-feira (1º) está marcada para começar a greve dos caminhoneiros. Na quarta-feira (03), o BC divulga a ata do Copom, para detalhar a decisão de elevar a Selic para 7,75% e seu plano de voo para a sequência do ciclo de aperto monetário. Ainda para quarta-feira, é esperada a votação da PEC dos Precatórios no plenário da Câmara e saem o IPC-Fipe, o IBC-Br e a balança comercial, todos de outubro. Na quinta-feira (04) é a vez da produção industrial de setembro.
A agenda internacional tem no foco as decisões de política monetária do Fed na quarta-feira e do Banco da Inglaterra (BoE), no dia seguinte. Na sexta-feira (05) é a vez do relatório de emprego dos EUA de outubro, o payroll, produção industrial da Alemanha e vendas no varejo da zona do euro.

Fonte: Broadcast

Principais indicadores para acompanhamento da Renda Fixa e Tesouro Direto

Curvas de Juros do Tesouro Direto

Gráfico de Retorno versus Risco Renda Fixa - Tesouro Direto

Rendimentos e Volatilidade da Renda Fixa: Tesouro Direto, Poupança, Ibovespa, Dólar, IDA Anbima e CDI

Características do Tesouro Direto: Taxa de Compra, Preço de Compra, Duration(Duração), Duração Modificada, DV01 e Volatilidade(Desvio padrão últimos 21 úteis)

Volatilidade da Renda Fixa (Risco de Mercado) Tesouro Direto, Ibovespa e Dólar

Retornos Mensais e 12 Meses Ordenado

Ranking Mensal Colorido de Rentabilidades Tesouro Direto, Poupança, Ibovespa, Dólar, IDA Anbima e CDI