Sistema de Expectativas do Banco Central do Brasil

As expectativas de mercado são um  dos mais importantes instrumentos de auxílio às decisões de política monetária feitas pelo Banco Central do Brasil, através do COPOM.

Outro fator imensamente importante é que esses dados são disponibilizados ao público em geral, o que possibilita que todos os interessados tenham conhecimento sobre o que os agentes de mercado estão projetando, constituindo dessa forma ferramenta importante para o planejamento de suas ações de curto, médio e longo prazos.

Investir é pensar sobre o Futuro, por isso o Sistema de Expectativas do Bacen é extremamente importante para qualquer investidor!

Principalmente os investidores em Renda Fixa que compram Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA!

Aliás qualquer ativo atrelado à Selic, CDI, Pré ou indexado ao IPCA pode ser avaliado usando o Sistema de Expectativas do Bacen!

O que vamos aprender aqui é como utilizar o Sistema, usar seus números em nossas próprias projeções e compará-las com taxas de mercado.

Se prefere assistir vídeos, vá ao final do artigo!

Por que devo utilizar o Sistema de Expectativas do Bacen para investir?

As famílias, as empresas e os investidores tomam suas decisões com base em como estão agora e o que eles esperam acontecer no futuro.

Quanto será cobrado pelo aluguel em sua renovação? 
Nos próximos meses, o preço dos alimentos cairá ou não? 
A mensalidade da escola particular será reajustada?
O custo dos financiamentos irá diminuir ou aumentar?
Será que a economia irá crescer ano que vem?

E os investidores? Principalmente os de Renda Fixa?

Quanto estarão os Juros daqui 1 (um) ano?

Selic/CDI ou Prefixado?

Qual será a inflação dos próximos anos?

Indexado ao IPCA ou Prefixado?

O que é o Sistema de Expectativas do Bacen?

Começou em maio de 1999, como parte da transição para o regime de metas para a inflação.

Seu objetivo é monitorar a evolução das expectativas de mercado para as principais variáveis macroeconômicas, de forma a gerar subsídios para o processo decisório da política monetária.

As projeções coletadas são elaboradas por bancos, gestoras de recursos, empresas não-financeiras, consultorias, associações de classe, academia, corretoras, dentre outras. Essas entidades possuem equipes especializadas que projetam as principais variáveis macroeconômicas que auxiliarão, tanto os profissionais da própria instituição, como seus clientes.

São divulgados rankings com as Instituições com maior acurácia.

Calcula estatísticas da amostra diariamente

Indicadores econômicos: Índices de preços, crescimento do PIB e da produção industrial, taxa de câmbio, taxa Selic, variáveis fiscais e indicadores do setor externo.

Relatórios: Focus-Relatório de Mercado, Focus-Distribuições de Frequência e Focus-TOP Five

FAQ: https://www.bcb.gov.br/controleinflacao/faqexpectativa. em fev 2021.

Indicadores Macroeconômicos do Sistema de Expectativas do Banco Central

Atualmente (2021) os indicadores macroeconômicos disponíveis no Sistema de Expectativas são:

Balança Comercial: conjunto de variáveis que compreende os valores anuais das Exportações, das Importações e o Saldo da Balança Comercial (diferença entre o valor anual das Exportações e o valor anual das Importações), todos expressos em US$ bilhões, divulgados pelo MDIC no início de janeiro de cada ano.

Balanço de Pagamentos: conjunto de variáveis que compreende o Saldo em Conta Corrente do Balanço de Pagamentos e o Investimento Direto no País (líquido), ambos expressos em bilhões de US$, divulgados pelo BC (SGS 22701 e 22885) quando a Nota Econômico-Financeira – Estatísticas do setor externo de dezembro é publicada, em janeiro de cada ano.

Fiscal: conjunto de variáveis que compreende o Resultado Primário, o Resultado Nominal e a Dívida Líquida do Setor Público, relativos ao setor público consolidado, e a Dívida Bruta do Governo Geral, todos expressos em percentual do PIB, divulgados pelo BC no fim de janeiro de cada ano (SGS 5793, 5727, 4513 e 13762).

Índices de Preços: é uma média normalizada (tipicamente uma média ponderada) de relativos de preços para uma determinada classe de bens ou serviços em uma determinada região, durante um determinado intervalo de tempo, ou seja , inflação.

        • IGP-DI, FGV.
        • IGP-M, FGV.
        • INPC, IBGE (Tabela 1736).
        • IPA-DI, FGV.
        • IPA-M, FGV.
        • IPCA, IBGE (Tabela 1737).
        • IPCA-15, IBGE (Tabela 3065).
        • IPC-Fipe, Fipe.

Inflação acumulada nos próximos 12 meses:  acúmulo, para os próximos 12 meses, das projeções mensais de variação percentual de um índice de preços.

Inflação acumulada nos próximos 12 meses – suavizada: inflação acumulada nos próximos 12 meses ajustada pela diferença entre a expectativa da variação do mesmo índice de preços para o 13º mês à frente (que será o próximo a entrar no cálculo da variação em doze meses, quando da mudança de período móvel) e a expectativa de sua variação no primeiro mês do período de 12 meses (que sairá do cálculo quando da mudança de período móvel), proporcionalmente ao quociente entre o número de dias transcorridos no período desde a divulgação do último índice mensal e o número total de dias do período. Trata-se de diluir, ao longo do tempo entre publicações sucessivas do índice mensal, a diferença entre as projeções para o mês que vai sair do período de doze meses e para o mês que vai entrar, evitando os degraus que ocorreriam quando da mudança de período móvel, característicos da inflação acumulada sem o ajuste.

Meta para a taxa Selic: meta para a taxa Selic, expressa em %a.a., divulgada pelo BC (SGS 432) com periodicidade diária. A taxa mensal é a taxa divulgada para o último dia do mês. A taxa anual de fim de período é a taxa divulgada para o último dia do ano. A taxa média anual é a taxa média calculada com base em todos os dias do ano.

PIB: variação percentual do PIB Total de um período em relação ao mesmo período do ano
anterior, com base nos números-índices sem ajuste sazonal divulgados pela Pesquisa de
Contas Nacionais Trimestrais (CNT) do IBGE (Tabela 1620).

Preços administrados: variação anual de um subconjunto da cesta do IPCA, com base nas variações mensais
divulgadas pelo BC (SGS 4449).

Produção industrial: variação percentual da produção industrial (Indústria geral) de um período em relação
ao mesmo período do ano anterior, com base nos números-índices sem ajuste sazonal
divulgados pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM-PF/BR) do IBGE (Tabela 3653).

Ranking Top 5: listas de instituições participantes do Sistema Expectativas que obtiveram maior grau de
acerto de suas projeções de curto, médio e longo prazos em relação ao IPCA, ao IGP-M,
à Taxa de Câmbio e à Meta da Taxa Selic. As medianas das variáveis projetadas pelas
cinco instituições que mais acertam (as Top 5) são divulgadas no Relatório Focus.

Taxa de Câmbio: cotação de venda do dólar norte-americano em reais, expressa em R$/US$, divulgada
pelo BC (PTAX, SGS 1) com periodicidade diária. A taxa mensal é a taxa divulgada para
o último dia do mês. A taxa anual de fim de período é a taxa divulgada para o último dia
do ano. A taxa média anual é a taxa média calculada com base em todos os dias do ano.

Glossáriohttps://www3.bcb.gov.br/expectativas/publico/ajuda/glossario em fev 2021.

Para nós, investidores em Renda Fixa, existem dois indicares mais relevantes:

Meta para Taxa Selic: CDI, Selic e Prefixados. Exemplo: Tesouro Selic e Tesouro Prefixado

Índices de Preço (IPCA): Indexados ao IPCA. Exemplo: Tesouro IPCA+

Cálculos do Sistema de Expectativas

As estatísticas calculadas no Sistema de Expectativas são:

A média é soma dos valores de um conjunto de dados e dividindo-se pelo número de elementos deste conjunto.

A mediana é um valor numérico que separa a metade superior de um conjunto da metade inferior.

A média é usada para distribuições numéricas normais, que têm uma baixa quantidade de valores discrepantes. A mediana é geralmente utilizada para retornar a tendência central para distribuições numéricas distorcidas.

O desvio padrão é uma medida que expressa o grau de dispersão de um conjunto de dados. Ou seja, o desvio padrão indica o quanto um conjunto de dados é uniforme. Quanto mais próximo de 0 for o desvio padrão, mais homogêneo são os dados.

O coeficiente de variação é usado para expressar a variabilidade dos dados estatísticos excluindo a influência da ordem de grandeza da variável. Ele é usado para analisar a dispersão em termos relativos a seu valor médio quando duas ou mais séries de valores apresentam unidades de medida diferentes. Dessa forma, podemos dizer que o coeficiente de variação é uma forma de expressar a variabilidade dos dados excluindo a influência da ordem de grandeza da variável.

O coeficiente de variação (C.V.) é o desvio padrão expresso como uma porcentagem média. Fórmula: desvio padrão / média.

Como o coeficiente de variação analisa a dispersão em termos relativos, ele será dado em %. Quanto menor for o valor do coeficiente de variação, mais homogêneos serão os dados, ou seja, menor será a dispersão em torno da média.

O máximo revela o maior valor de uma série.

O mínimo é o menor valor do conjunto de dados.

O número de participantes é a soma dos respondentes.

Como utilizar o Sistema de Expectativas do Bacen para investir?

Bem…

Se você possui as expectativas dos principais agentes do mercado financeiro para Taxa Selic e para o IPCA , então você pode construir suas projeções e decidir qual dos três caminhos da Renda Fixa você irá percorrer: Selic/CDI, Prefixado ou Indexado ao IPCA

Para construir suas projeções você pode contar com as planilhas aqui do Renda Fixa Prática. Em especial a de Curvas do DI Futuro.

Cálculo de Curvas CDI :: Pré x Pós CDI?

Criada no Excel versão para Computador. Macros devem ser habilitadas

Como resultado consolidado das pesquisas no Sistema de Expectativas demonstro abaixo dois exemplos de captura de informações para o dia 06/01/2020.

Projeções para Selic de Fim de Ano em 06/01/2020

Projeções Mensais para o IPCA em 06/01/2020

De posse das expectativas para Taxa Selic podemos utilizar a Planilha de Curvas do DI Futuro para projetarmos o valor do CDI médio no futuro e compararmos ao que o mercado negocia no momento da projeção.

Com os números de IPCA podemos corrigir o VNA IPCA no futuro e assim calcularmos qual inflação esperada para o período analisado.

Para melhor compreensão convido a assistir o vídeo abaixo, que além de discorrer sobre o Sistema de Expectativas, demonstra como utilizar os dados retirados do sistema nas planilhas aqui do Renda Fixa Prática.

Quem quiser ir direto no uso da planilha vá para o minuto 37:35.

Lembre-se de se inscrever e ativar o sino de notificação e assim me acompanhar no Youtube!

Vídeo como utilizar o Sistema de Expectativas do Bacen

Bem, ficamos por aqui.

A excelência é uma utopia, sempre há algo a melhorar!

Deixe suas críticas, correções, sugestões, dúvidas e também elogios! 

Vá ao final da página e deixe seu comentário! Isso me motiva a continuar!

A utilidade é o que me move!

Forte abraço

Jefferson Figueiredo – CGA

Receba nossos Artigos assim que forem produzidos!

Preencha abaixo:

    Sou Gestor de ativos de Renda Fixa há 12 anos. O objetivo do Renda Fixa Prática é ajudar na compreensão sobre ativos de Renda Fixa.