O Tesouro IPCA Principal 2019 venceu, e aí? Qual foi o retorno desse título do Tesouro Direto?

Tesouro Direto: Tesouro IPCA principal 15/05/2019 venceu, e aí?

É o maior vencimento da história do Tesouro Direto, que abriu o mercado de dívida pública para o aplicador comum há 17 anos. O Tesouro IPCA principal 15/05/2019 começou a ser ofertado em 14/01/2013 e esteve à venda no site do Tesouro até fevereiro de 2017.

Existe uma discussão muito rasa no mercado de Renda Fixa para investidores individuais. Sempre se considera que levar o título público até o vencimento é uma garantia de bons retornos.

Será?

Como de praxe aqui no |RFP| segue um primeiro gráfico com os rendimentos brutos acumulados do Tesouro Principal IPCA 2019 (usei os preços base disponibilizados pelo Tesouro Nacional), VNA IPCA (quanto do título foi rendimento do índice de inflação), CDI (aqui você tem o rendimento de um CDB 100% CDI), Ibovespa (Bolsa de Valores) e o Dólar (Câmbio comercial). Também no gráfico a variação nas Taxas de Compra do Tesouro IPCA.

Rentabilidades acumuladas tesouro ipca principal 2019 e Taxas de Compras

O gráfico é uma simulação de investimentos com uma aplicação desde a emissão do Tesouro IPCA (14/01/2013). Reparem que o título do Tesouro Direto recebeu menos que um CDB ou LCA a 100% CDI (tudo aqui é bruto!). CDI: 84,55% x Tesouro IPCA 2019: 73,56% (87,00% do CDI). O título público em questão foi emitido inicialmente com uma taxa de 2,88%.

O melhor período considerando a taxa máxima (8,03% em 24/09/2015) e a mínima (-1,58% em 10/05/2019), o investidor obteria um rendimento total bruto de 58,12% (140% CDI).

Outra forma interessante de analisar um investimento financeiro é observando a Máxima Perda Acumulada no período ( Max Drawdown).

Trata-se de uma visão que evidencia a maior perda ocorrida desde um ponto de máximo até um ponto de mínima em uma série histórica. Ou seja, mensura a maior queda de valor de um ativo, em porcentagem, entre um pico que ocorreu no passado e determinada data posterior.

Daí já temos uma boa métrica de Risco de Mercado.

Perdas acumuladas do Tesouro IPCA Principal 2019 (DrawDown)

Reparem que o Tesouro IPCA Principal 2019 chegou acumular uma perda de 11,64% (Sim, títulos do Tesouro Direto podem ter rentabilidades negativas) até o final de julho de 2013. Outra informação importante nesse gráfico é que o papel do Tesouro Direto só entrou no campo das rentabilidades acumuladas positivas no segundo semestre de 2014. Quem entrou no inicio da oferta amargurou-se mais de um ano…

A largada do Tesouro IPCA Principal 2019 foi muito ruim.

Aproveitando o ensejo gostaria de mostrar um gráfico com os rendimentos diários para analisarmos a Volatilidade do Tesouro IPCA Princ. 2019. Percebam que a Vol vai diminuindo conforme proximidade do vencimento. Quanto menor a duration, menor o impacto no preço dada alteração na taxa.

Rentabilidades diárias do Tesouro IPCA Principal 2019

Rentabilidades diárias do tesouro IPCA principal 2019

Rentabilidades Mensais e Anuais do Tesouro IPCA Principal 2019

Para finalizarmos levo a vocês o histórico de rentabilidades mensais e anuais do Tesouro IPCA Principal 2019  em comparação com CDI.

Rentabilidades anuais do tesouro ipca principal 2019

Percebam que em 2013 (a partir de 14/01/2013) o ativo perde -8,48%, mas o CDI rendeu 6,42. Com isso, a diferença entre eles foi 16,28% que são os oito que o Tesouro IPCA perdeu naquele ano mais os seis que deixou de ganhar (custo de oportunidade).

Analisem com carinho essas rentabilidades e estatísticas!

Qualquer dúvida sobre a interpretação dessas Estatísticas acesse meu artigo com mais esclarecimentos sobre.

A excelência é uma utopia, sempre há algo a melhorar!

Deixe suas críticas, correções, sugestões, dúvidas e também elogios! 

Vá ao final da página e deixe seu comentário!

Forte abraço

Jefferson Figueiredo – CGA

Receba nossos Artigos assim que forem produzidos!

Preencha abaixo:

 

Sou Gestor de ativos de Renda Fixa há 10 anos. O objetivo do Renda Fixa Prática é ajudar na compreensão sobre ativos de Renda Fixa, dando ênfase nos Títulos Públicos Federais.